Suscríbete a nuestro blog

 

 

Últimas publicaciones..

Blog CEMETC

HISTORIA CLÍNICA Nº 1 - ENFERMEDAD DE CROHN (PORTUGUES) PARTE 2

Esta situação, mantida por tempo longo, compromete o R. Yin, que se esgota na tentativa de dar assistência ao F. Yin e ao R. Yang, que também se esgota no esforço de manter a homeostasia. Sabemos que o plano Jueyin está composto pelo F. e MC. Ambos sistemas denominam-se de Fogos Ministeriais e são os grandes responsáveis pela função de defesa imunológica endógena. Por essa razão, a sua alteração é responsável pelos sinais clínicos relacionados com as enfermidades denominadas autoimunes e alterações no comportamento e no caráter (personalidade) do paciente. O F. é o responsável pela formação da energia Wei Yin que circula pelos Meridianos Distintos e o MC. É um plexo ou centro onde se anastomosam esses meridianos distintos (conteúdo e continente). 

A disfunção do Xin Bao (MC.) e F., ambos em plenitude, provoca um Fogo Ministerial Agitado (Jueyin Huofengshi). Esta alteração dificulta a diferenciação entre energia biológica e energia perversa (reconhecimento antígeno) pondo em marcha respostas alteradas de ataque a outros órgãos e sistemas, principalmente se, na sua base, eles estiverem debilitados. Neste caso, esse terreno é, com segurança, o IG., no qual se produz um efeito de menosprezo, com a aparição de uma autêntica “queimadura energética” sobre a zona do íleo terminal que constitui, no Ocidente, a denominada Enfermidade de Crohn. 

A língua, que responde ao C. enquanto estrutura tissular ou corpo lingual, apresenta uma morfologia normal, embora tenha uma saburra espessa e amarelada, que denota fleuma e calor ao nível do “canal interno”, com fissuras que indicam vazio prolongado do R-Yin e do Yin em geral. O esforço que o R.-Yin realiza para nutrir o Yin de F. (Mu-Zi) faz com que que este se esgote, produzindo una deficiência de Yin manifestada por: insônia distal, calor nos cinco centros, febrícula vespertina, etc. 

O esforço continuado do Rim Yang, que trata de manter a homeostasia, aportando energia de reserva (processo acelerado pelos corticoides) provoca, ademais a clínica típica: astenia, lombalgia, frio, alterações sobre o sistema dos linfócitos B e a gênese (geração) dos anticorpos. Devemos ter em conta que o R-Yin rege a medula óssea (função hematopoiética). Por essa razão, seu esgotamento produzirá alterações qualitativas e quantitativas na formação dos elementos que constituem o sangue, tendo como consequência coadjuvante a desorientação do sistema imunológico. 

CONCLUSÃO DO DIAGNÓSTICO SINDRÕMICO.

- Insuficiência congênita e/ou adquirida do Yangming (Yangmingxu). 

Insuficiência de Wei interno (Weineixu). 

- Estancamento do Qi de P. (Yüqifei).

- Insuficiência do Yin de F. (Ganyinxu). 

- Plenitude do Fogo Ministerial (Jueyin Huoshi). 

- Vazio conjunto do Rim Yin e Yang (Shen Migmen Xu).

 Fatores chaves:

- Fator essencial: déficit de Yang Ming

- Fatores predisponentes: a idade do paciente. 

- Fatores coadjuvantes: a situação familiar e laboral.  

- Fatores desencadeantes: morte paterna. 

 

4 - TRATAMENTO (ZHI LIAO FA)  

OS QUATRO CRITÉRIOS TERAPÊUTICOS


1º CRITÉRIO TERAPÊUTICO: PROTOCOLAR

REGULAÇÃO ENERGÉTICA EM FUNÇÃO DO GRÁFICO RYODORAKU (LI QE GE FA). Energobiograma e regulação com método Riodoraku, alternando sessões com o ponto Xi (desbloqueio) de IG - IG.7 (Bienliu).

DESBLOQUEAR COM PONTO XIDesbloquear IG. com ponto Xi, alternando com regulação energética.


2º CRITÉRIO TERAPÊUTICO: BÁSICO OU DE 1ª INTENÇÃO (BA FA)

 APLICAÇÃO DAS 8 TÉCNICAS TERAPÊUTICAS EM FUNÇÃO DAS 8 REGRAS (BA GANG) OU TRATAMENTO SINTOMÁTICO:

CALOR INTERNO QUE AFETA O YANGMING, SOBRETUDO O IG.

REFRIGERAÇÃO:  R.3 (Taixi), BP.6 (Sanyinjiao) e RM.4 (Qihai).

REGULAR O CENTRO E O YANGMING RM.12 (Zhongwan), IG.4 (Hegu), E.36 (Zusanli) e E.37 (Shagjuxu).

REGULAR O IG.: B.25 (Dachangshu) e  E.25(Tianshu) (Estimulado).

PURIFICAR O CALOR:  IG.4 (Hegu), IG.11 (Quchi) e DM.16 (Fengfu).


3º CRITÉRIO TERAPÊUTICO: SINDRÔMICO OU DE  2ª INTENÇÃO (BIAN ZHENG FA) 

SELEÇÃO DE PONTOS EM FUNÇÃO DO DIAGNÓSTICO SINDRÔMICO E SUA COMBINAÇÃO EM FUNÇÃO DA CAUSA ETIOLÓGICA:

DESEQUILÍBRIO DO XIN BAO, DEFICIÊNCIA DE R.-YIN E YANG E DÉFICIT DE YIN DE F.

HARMONIZAR O SHEN:  MC.6 (Neiguan), RM.17 (Shanzhong) E TA.10 (Tianjing).

TONIFICAR AMBOS RINS:  RM.4 (Guan Yuan), RM.6 (Qihai), B.23 (Shenshu), R.7 (Fiuliu) e PC.46 (Qimen).

TONIFICAR YIN DO F.:  F.8 (Ququan) em combinação com R.10 (Yinggu) e F.14 (Qimen).


FORMULAÇÃO SEGUNDO OS CRITÉRIOS ANTERIORES

SELEÇÃO DE PONTOS, FÓRMULA ELEITA: TRATAR AS TRÊS DIMENSÕES (ALTURA, LARGURA E PROFUNDIDADE)

PONTO IMPERADOR E ACOPLADO: (PRIMEIRA DIMENSÃO - PONTO ACIMA E PONTO ABAIXO) MC.6 (Neiguan) Ponto chave do Yin com duas funções básicas: a 1ª é potencializar a defesa interna tratando de regular o sistema imune e a 2ª é harmonizar as funções energéticas do E., muito ligadas, nestes enfermos, aos fatores emocionais. PONTO SUPERIOR. Fechar o tratamento com o ponto BP.4 (Gongsun) PONTO INFERIOR.

PONTOS MINISTROS: Primeiro Ministro. Técnica Shu-Mu de IG. (SEGUNDA DIMENSÃO – PONTO ANTERIOR E PONTO POSTERIOR) E.25 (Tianshu) e B.25 (Dachangshu). Regula as funções Yin (absorção) e Yang (peristaltismo). Por isso, por isso, a acupuntura do Shu (Yang) se fará de forma indiferente e a do Mu (Yin) estimulada. Segundo Ministro. Técnica Mu-Zi de IG. (TERCEIRA DIMENSÃO - PONTO À ESQUERDA E PONTO À DIREITA) com E.41 (Jiexi) tonificação de E. que fortalece a mãe e o filho (IG.), ambos formam o Yangming.

PONTOS AJUDANTES:

Técnicas a considerar em função da evolução do paciente

- Estimular o Yin de R. e F. com R.3 (Taixi),RM.4(Guanyuan), R.10 (Yingu) e F.8 (Ququan).

- Pontos Roé ou de ação específica E.36 (Zusanli), E.37 (Shagjuxu), e E.39 (Sanjoxu) tratam o Canal Interno (E.-ID.-IG.).

- Técnica Luo Yuan para fortalecer o IG., por parte do P :. P.7 (Liequé) e IG.4 (Hegu).

- Tonificar R. Yang com RM.6 (Qihai) e DM.4 (Migmen).             

 Nº DE SESSÕES CLÍNICAS

- Um ciclo de 10 sessões em 4 semanas. 

- Em dias alternados, nas 2 primeiras semanas. 

- Duas sessões semanais, nas 2 semanas seguintes.

 

4º CRITÉRIOS TERAPÊUTICOS COMPLEMENTARES (BU CHONG DE FA)

4.1. FITOTERAPIA.

FARMACOPÉIA ORIENTAL:                                                 

FITOTERAPIA OCIDENTAL: 

4.2. AURICULOTERAPIA E/OU OUTROS.  

 AURÍCULO TRADICIONAL: IG., E., BP., P. e R. Cheque endócrino em muro e antemuro.

 AURÍCULO DE NOGUIER:               

 PONTOS CURIOSOS OU NOVOS:            

 MANO, RINO, FACIO, PODO… PUNTURA:

4.3. BIOCERÂMICAS

 ADESIVOS SEMIPERMANENTES COM BIOCERÁMICAS:  MC.6 (Neiguan), R.3 (Taixi) e E.37 (Shagjuxu).

PEÇAS ORTOPÉDICAS COM BIOCERÂMICAS                                                                     

 OUTROS:

4.4. OUTROS RECURSOS.       

 HOMEOPATIA:                                     

 ELETROMAGNETOTERAPIA:                          

 PARES MAGNÉTICOS:

4.5. RECOMENDAÇÕES DIETÉTICAS GERAIS.

É imprescindível, durante o período de tratamento, realizar uma dieta natural e fresca, reduzindo ao máximo as proteínas e gorduras de origem animal e os compostos químicos.

Revisar o protocolo geral comum para o resto de casos.            

4.6. CONSELHOS HIGIÊNICOS E AMBIENTAIS.

Deve-se   inspirar e expirar profundamente tratando de eliminar o ar residual dos alvéolos, tendo o cuidado com o enjoo por hiperventilação. Efetuar séries de 7 inspirações-expirações várias vezes ao dia, fundamentalmente pela manhã, acumulando mentalmente a energia a nível de um ponto situado a dois dedos abaixo do umbigo:  RM.6 (Qihai).

Revisar o protocolo geral comum para o resto de casos.

 

 

© 2017 Centro de Enseñanza de la Medicina Tradicional China
Diseño web: HiTech Informática